-------------------------------------- Publicação 17/03/2020 -------------------------------------------

A AUDIÊNCIA NO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO É CANCELADA

O SINDÁGUA RECUSA NO TRIBUNAL PROPOSTA DA COPASA EM GARANTIR DEMISSÕES
O Jurídico do SINDÁGUA apresentou no TRT-MG, na manhã de quarta-feira, 18 de março, a defesa do Acordo Coletivo de Trabalho com a Copasa nos termos apresentados pelo Sindicato nas negociações.
Demonstramos principalmente nossa veemente oposição à tentativa da empresa de eliminar a garantia de emprego de nosso acordo coletivo, com a clara intenção de fazer demissões em massa de trabalhadores, dilapidando e sucateando e preparando a empresa para um processo de privatização.
O SINDÁGUA afirmou no documento ao TRT-MG que não aceita os termos da proposta apresentada pela empresa, em que torce a proposta anteriormente oferecida pelo próprio tribunal como forma de conciliação.
O TRT, através da Portaria GP/CP/VCR114, cancelou a audiência de conciliação programada pelo TRT para esta sexta-feira, dia 20, num esforço de toda a sociedade e medidas protetivas contra a contaminação pelo coronavirus. Temos também a situação em que a Copasa recusou a proposta conciliatória apresentada pelo TRT-MG e Ministério Público do Trabalho, indicativa de que dificultará qualquer entendimento para firmar um Acordo Coletivo de Trabalho consensual.

.

-------------------------------------- Publicação 04/03/2020 -------------------------------------------

TRT FAZ PROPOSTA DE CONCILIAÇÃO
E ESPERA RESPOSTA DA COPASA

O SINDÁGUA e prepostos da Copasa se reuniram hoje (4 de março) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG), quando tentamos chegar a uma proposta conciliatória que permita a eventual aprovação do Acordo Coletivo de Trabalho 2019.
Depois de longos debates e argumentos das duas partes, o Desembargador Dr. Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto fez constar em ata uma proposta conciliatória construída em conjunto com a Dra. Maria Helena da Silva Guthier, do Ministério Público do Trabalho, para a cláusula de “garantia de emprego”, que causou toda a polêmica desde o início das negociações, diante da ânsia da empresa de definir condições em que justificaria demissões.

-------------------------------------- Publicação 05/02/2020 -------------------------------------------

TRT MARCA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO
PARA DIA 4 DE MARÇO

O Em despacho do Desembargador, Dr. Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto, Vice Presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG) na noite de ontem, 12 de fevereiro, foi marcada “audiência de tentativa de conciliação e instrução” para o dia 4 de março, às 14 horas.
No despacho, o SINDÁGUA e a COPASA foram intimados e notificados, determinando o acesso ao pleno teor da petição inicial.

Finalmente, poderemos ter o andamento final deste processo para chegarmos ao consenso do Acordo Coletivo de Trabalho 2019.
O Jurídico do SINDÁGUA tem já preparado todos os argumentos e documentação para a defesa dos direitos da categoria, sobretudo o respeito ao instituto da estabilidade no emprego de trabalhadores concursados, bem como demais cláusulas de nossos acordos coletivos.

A direção do Sindicato mobilizará a categoria, que está ansiosa pelo fechamento deste acordo, de forma que sejam preservadas as condições de trabalhos construídas ao longo dos anos e nos garante instrumentos de manter a qualidade de serviço essencial prestado à população..

-------------------------------------- Publicação 12/02/2020 -------------------------------------------

PROCESSO DE DISSÍDIO CAMINHA E PODE RECEBER DESPACHO NO TRT-MG

O período de apreciação de documentação no processo de dissídio coletivo ingressado pela Copasa foi concluído na última terça-feira, 11 de fevereiro, pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG).
O processo agora encontra-se nas mãos do Desembargador Vice-Presidente, Dr. Fernando Luiz Gonçalves Rios, para despacho.
Os trabalhadores, que aguardam o desfecho do Acordo Coletivo há quase dez meses, ficam na expectativa que o mesmo aconteça no período mais breve possível e sejam resguardados os direitos da categoria, como também garantido o reajuste dos salários, que foram atualizados pela última vez em maio de 2018, ou seja, há 22 meses.
Qualquer movimentação no TRT-MG será comunicada imediatamente aos trabalhadores por esta via eletrônica.

 

-------------------------------------- Publicação 05/02/2020 -------------------------------------------

TRT-MG DEVERÁ AVALIAR JUNTADA DE DOCUMENTOS
DA COPASA SOBRE O DISSÍDIO

O jurídico da Copasa fez juntada de documentos, somente às 18h41 de ontem, dia 4 de fevereiro, que foram exigidos pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG) para análise do processo de Dissídio Coletivo.

Devemos agora aguardar o parecer de Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho se estes documentos contemplam as exigências, para prosseguir a decisão sobre o dissídio.
A categoria será mantida informada de todo o andamento.

 

-------------------------------------- Publicação 05/02/2020 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim REGISTRO Nº 338, com seguinte destaque:
"ASSEMBLEIAS EM TODO O ESTADO PARA CAMPANHA
DO ACORDO COLETIVO 2020"

Na reunião da Diretoria Plena do SINDÁGUA, foram tomadas decisões importantes, para ampliar a mobilização dos trabalhadores e da sociedade inteira em defesa do saneamento com qualidade, que começa com a valorização interna de quem presta os serviços públicos e essenciais para a comunidade. Todos os diretores do Sindicato estão sendo preparados para conduzirem assembleias no início de março, abrindo nossa luta para o Acordo Coletivo de Trabalho 2020.
A categoria terá como primeira cláusula entre as reivindicações a continuidade ao processo de negociação das claúsulas já apresentadas em 2019, que é mantido estancado pela inflexibilidade da direção da Copasa.

 

-------------------------------------- Publicação 31/01/2020 -------------------------------------------

SINDÁGUA FAZ REUNIÃO AMPLA E MOBILIZA
PARA ENGROSSAR AS LUTAS DA CATEGORIA

     A luta da categoria pelos direitos dos trabalhadores e pela preservação da Copasa como instrumento público de saúde foi reforçada na reunião da Diretoria Plena do SINDÁGUA, realizada na última semana.
No início dos trabalhos, a direção cobrou do jurídico do Sindicato um relato sobre a evolução do dissídio coletivo acionado pela Copasa, que tem causado ansiedade e descontentamento dos trabalhadores, sendo informada que o TRT-MG concedeu prazo à empresa para correção de documentação no processo. Aguardamos a posição do Tribunal, para acabar com o impasse e encerrarmos as negociações de 2019/2020.
Na reunião da Diretoria Plena do SINDÁGUA, foram tomadas decisões importantes, para ampliar a mobilização dos trabalhadores e da sociedade inteira em defesa do saneamento com qualidade, que começa com a valorização interna de quem presta os serviços públicos e essenciais para a comunidade.

     

-------------------------------------- Publicação 21/01/2020 -------------------------------------------

Sindágua publica informação sobre o andamento da Campanha Salarial 2019/2020

Estamos aguardando novos andamentos do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG), que estava de recesso desde o final de dezembro e retomou suas atividades nesta terça-feira, 21/1, para que sejam dados os encaminhamentos que se fazem necessários.

Lembramos que o desembargador vice-presidente é quem vai instruir o processo de dissídio.
O sindicato já se preparou para todos os eventuais atos e desdobramentos.
Temos que "aguardar o tempo do judiciário".

A hora é de muita calma para garantia de nossos direitos e conquistas.

 

-------------------------------------- Publicação 13/01/2020 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico nº 56 com seguinte estaque:
"DISSÍDIO COLETIVO DA CATEGORIA PODERÁ
SER DECIDIDO AINDA EM JANEIRO NO TRT
"

       Ainda neste poderá acontecer a tentativa de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG) do processo de dissídio sobre nosso Acordo Coletivo de Trabalho. Após notificação, o Sindicato e a empresa terão cinco dias para apresentarem contra razões no processo para tentar se chegar a uma compatibilização de interesses que viabilizem o Acordo.

O Jurídico do SINDÁGUA já preparou toda a documentação, que demonstra as ações transparentes e responsáveis do Sindicato e dos trabalhadores, para renovarmos o nosso Acordo Coletivo de Trabalho ainda de maio de 2019.

GARANTIA DE DATA BASE

Foi acatado o protesto o protesto judicial feito pelo Sindicato em que buscamos o respeito à data-base da categoria, para que os efeitos de um novo acordo seja retroativo a 1º de maio de 2019. O TRT-MG acatou o pedido para viabilidade da data-base, de forma que o diálogo em uma possível conciliação garanta nosso direito de recebimento das diferenças deste maio passado.

 

-------------------------------------- Publicação 08/01/2020 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim REGISTRO Nº 336, com seguinte destaque:
"COPASA PREJUDICA PADRÃO SOCIAL DOS
TRABALHADORES COM SALÁRIOS REPRESADOS"

2020 começa com um registro histórico gravemente negativo. Pela primeira vez na história das relações trabalhistas entre os trabalhadores e a Copasa, iniciamos um ano novo sem ter concluído negociações e assinado o Acordo Coletivo de Trabalho do ano anterior.
Com isto, até o final de dezembro de 2019, os trabalhadores completaram 20 meses com o mesmo salário, que foi reajustado apenas em maio de 2018.
Até abril/2019, o INPC acumulado registrou 5,07%, reajuste necessário para repor nos salários o desgaste inflacionário de 12 meses
.

-------------------------------------- Publicação 20/12/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico nº 53 com seguinte estaque:
"INTRANSIGÊNCIA E TRUCULÊNCIA A
"NOVA" MARCA DA COPASA
"

       A Copasa aprontou mais uma vez. Depois de comparecer ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e afirmar, através de um preposto terceirizado, que não aceitaria conciliação, a empresa repetiu a dose.
     Na audiência do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG) a representação da Copasa, novamente com o terceirizado, se manteve inflexível ao diálogo, mas antes já tinha tomado uma atitude que mostra total aversão ao diálogo: no mesmo dia, antes da reunião de conciliação, a empresa entrou com uma liminar em razão da paralisação (deliberada e divulgada pelo sindicato como de apenas um dia), com uma ação de dissídio coletivo.
     A truculência é a palavra chave para definir o “Novo” estilo de “mandar” na empresa, passando por cima de tudo e de todos. Deu um NÃO para o esforço de conciliação do MPT e outro NÃO para o TRT.
Resultado: não houve conciliação e o acordo vai depender da força da categoria para sermos respeitados.
Demonstramos no TRT que, no decorrer das negociações, os trabalhadores se posicionaram sempre pelo diálogo.

 

-------------------------------------- Publicação 19/12/2019 -------------------------------------------

SINDÁGUA PARTICIPA DA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO
NO TRT-MG COM A COPASA

     No dia 19 de dezembro, quinta-feira em reunião de audiência do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG) a representação da Copasa, novamente com o terceirizado, se manteve inflexível ao diálogo, mas antes já tinha tomado uma atitude que mostra total aversão ao diálogo: no mesmo dia, antes da reunião de conciliação, a empresa entrou com uma liminar em razão da paralisação (deliberada e divulgada pelo sindicato como de apenas um dia), com uma ação de dissídio coletivo.
     O TRT marca uma possibilidade de julgamento do dissídio, que pode acontecer só no final de Janeiro, entre os dias 20 e 27.
     Nos resta agora nos mobilizar, convocar toda categoria, para mostrarmos aos forasteiros nossa força na defesa dos nossos direitos e nosso compromisso social com o saneamento.

-------------------------------------- Publicação 19/12/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico nº 52 com seguinte estaque:
"COPASA RECUSA CONCILIAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO
E CHAMA OS TRABALHADORES PARA O CONFLITO
"

     Em reunião no Ministério Público do Trabalho, que se prolongou até à noite desta quarta-feira, 18, o preposto contratado pela Copasa recusou qualquer intermediação conciliatória do MPT. Afirmou que a empresa já entrou com uma ação de tutela de urgência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG).
     Por mais que o procurador chefe do Ministério Público do Trabalho, Dr. Arlélio de Carvalho Lage, tentasse a disponibilidade da Copasa em manter abertas as negociações, diante da disposição do Sindicato ao diálogo, o preposto patronal se posicionou de forma inflexível e até arrogante, fazendo acusações à entidade sindical, afirmando que já conhecia muito bem o que estamos querendo.
     Diante da intransigência autorizada ao preposto pela direção da Copasa, o MPT oficiou à Vice-presidência do TRT-MG 3ª Região a informação da “não aceitação da mediação do órgão ministerial”.
     Só resta aos trabalhadores a manutenção da PARALISAÇÃO e envidarmos todos os esforços para que o TRT-MG entenda os justos motivos da categoria e todas as irregularidades cometidas pela empresa no processo de negociação coletiva, tentando penalizar os direitos da categoria em flagrante agressão à Constituição e à Legislação.

-------------------------------------- Publicação 18/12/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico nº 51 com seguinte estaque:
"PARE PARA SER RESPEITADO - PARALISAÇÃO"

INTERMEDIAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO
O Sindicato acionou o Ministério Público do Trabalho (MPT), buscando uma intermediação que viabilize o prosseguimento das negociações e tenhamos respeitada a data-base, garantida pela direção da empresa, até a conclusão das negociações do Acordo Coletivo.
O MPT confirmou reunião de conciliação para hoje, dia 18, às 17 horas, na Procuradoria do Trabalho.

REUNIÃO PARA ESTABELECER CONTINGENTE MÍNIMO
Ao mesmo tempo, o Sindicato participou de reunião com a empresa para que fosse estabelecido o contingente mínimo de trabalhadores durante a paralisação, para atender a legislação que estabelece condições em atividades nos serviços essenciais. Nesta reunião tivemos a participação da procuradora contratada pela Copasa para as discussões sobre os setores essenciais que precisam manter as atividades.

-------------------------------------- Publicação 17/12/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim REGISTRO Nº 335, com seguinte destaque:
"DIA 19 DE DEZEMBRO A COPASA PARA E FAZ GREVE EM TODO O ESTADO"

Além de tomar parte da PL dos trabalhadores de baixos salários para engordar a bolada de quem ocupa cargos gerenciais, a "NOVA" direção da Copasa pressiona para assinarmos nossa pena de morte.

Quer de todo jeito que o Acordo Coletivo tenha cláusula para liberar as demissões, ferindo a Constituição e a legislação, que prevê demissões apenas por justa causa, por morte, pedido pessoal e aposentadoria.

---------------------------------------- Publicação 13/12/2019 -------------------------------------------

EMPRESA É OFICIALIZADA DA REJEIÇÃO DE SUA 5ª PROPOSTAE DECRETAÇÃO DE GREVE

O SINDAGUA MG, em cumprimento das deliberações de suas assembleias gerais realizadas nas diversas localidades da empresa, nas datas de 09 a 13 de dezembro de 2019, comunicou à Copasa via ofício nº 251/2019, que os trabalhadores de forma soberana, por sua maioria, rejeitaram a quinta proposta apresentada pela empresa, através de oficio datado de 29 de novembro de 2019, relativa às negociações salariais 2019/2020.

A categoria de forma ordenada, democrática deliberou pela decretação de greve, com a paralização de suas atividades, para o dia 19 de dezembro de 2019, sem afetar o abastecimento e garantindo a manutenção de serviços essenciais à população mineira, como forma de sensibilizar a gestão sobre a necessidade de reabri o diálogo, bem como manter a garantia da data base e flexibilizar as negociações e encontrar formas de respeitar os direitos dos trabalhadores.

Assim, notificamos a empresa para reunião extraordinária, em caráter de urgência, para definição de atividades essenciais e contingentes mínimos para manter a prestação de trabalhos urgentes e emergenciais, no interior e na Região metropolitana de Belo Horizonte, conforme previsto na Lei de Greve, para a paralização prevista para o, dia 19 de dezembro de 2019.

-------------------------------------- Publicação 13/12/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico com seguinte estaque:
"CATEGORIA DIZ NÃO E AGORA É GREVE"

No boletim eletrônico diz que O NÃO consciente de forma ordeira, democrática, com todos plenamente esclarecidos sobre os graves problemas na proposição da Copasa para fechar o Acordo. A rejeição veio com a solicitação ao Sindicato para que busque a empresa e reabra o diálogo, para ajustar os termos da proposta, retirando as armadilhas que intranquilizam a família copasiana. Jamais poderíamos aceitar uma cláusula ilegal, inconstitucional, que põe todos os companheiros no cadafalso das demissões.

A categoria mostra disposição ao diálogo, mas já agendou uma GREVE para o próximo dia 19 de dezembro, caso a empresa se poste inflexível e ameaçadora. O SINDÁGUA já está mobilizando todos os trabalhadores em todo o Estado para esta luta justa, além de buscar instâncias de conciliação, como a Superintendência Regional do Trabalho e o Ministério Público do Trabalho (MPT).

----------------------------------------- Publicação 13/12/2019 -------------------------------------------

CATEGORIA DIZ NÃO E REJEITA A PROPOSTA DA COPASA AGORA É GREVE

      Nas assembleias realizadas em todo o Estado e na gigantesca presença em frente à sede da Copasa, os trabalhadores REJEITARAM a contraproposta patronal, que ameaça direitos e principalmente os empregos da categoria.
      Os trabalhadores deram, mais uma vez, sua demonstração de força, de unidade e consciência. Se a direção da empresa apostou em medir força com a responsabilidade dos trabalhadores, pôde ver que a categoria honra sua história de lutas pelos direitos sagrados de nossos acordos coletivos.

 

----------------------------------------- Publicação 09/12/2019 -------------------------------------------
CONVOCAMOS CATEGORIA DOS DISTRITOS DE BH E DA RMBH PARA ASSEMBLEIA CENTRALIZADA, QUARTA-FEIRA
DIA 11/DEZ NA PORTA DO SINDICATO E DA REGIONAL

Convocamos todos os trabalhadores da regional dos distritos de BH e RMBH para nossa grande mobilização da ASSEMBLEIA GERAL CENTRALIZADA na próxima QUARTA-FEIRA, dia 11 de dezembro:

  • 14 horas - Porta a sede do sindicato - Rua Congonhas, 518 - Santo Antonio-BH
  • 16 horas - na portaria da regional da Copasa - Rua Mar de Espanha 525- Santo Antonio-BH

Para deliberação sobre contraproposta da Copasa para Acordo Coletivo 2019.
Vamos comparecer em massa na assembleia e engrossar a luta!

 

-------------------------------------- Publicação 05/12/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico com seguinte destaque:
"SEM MUDANÇAS NA PL E GARANTIA DE EMPREGO, CATEGORIA DEVERÁ REJEITAR PROPOSTA
E ENGROSSAR A LUTA"

No boletim eletrônico diz que a proposta representa uma ameaça ao emprego dos trabalhadores da Copasa, que poderiam ser demitidos em várias situações, como o fim de concessão, encerramento de atividades, terceirização e privatização da empresa.
Em relação à cláusula de garantia de emprego, é necessário incluir que “a Copasa se compromete a somente proceder as demissões nos casos previstos na legislação atual, excetuando os casos de planos de demissões voluntários, com anuências das entidades sindicais”.
O Sindicato vai realizar uma assembleia centralizada no dia 11 de dezembro, quando a categoria poderá rejeitar a proposta patronal e aprovar um indicativo de paralisação das atividades, caso a empresa não retome o diálogo. [+] Leia mais

-------------------------------------- Publicação 04/12/2019 -------------------------------------------

SINDÁGUA ENVIA OFÍCIO À COPASA SOLICITANDO ALTERAÇÕES EM ALGUMAS CLAUSULAS

O SINDÁGUA enviou oficio "SIND Nº179/2019", na tarde do dia 04 de dezembro de 2019, ao presidente da Copasa solicitando alterações em duas cláusulas constantes da quinta proposta apresentada pela empresa, que são frontalmente contrárias aos direitos da categoria, referentes à PL e à garantia de emprego.

No documento, o SINDÁGUA, apesar de reconhecer avanços na contraproposta da empresa, ressalta que, caso não sejam modificados os itens em questão, não há possibilidade de defender a proposta da empresa junto aos trabalhadores.

O Sindicato considera as alterações nas duas cláusulas indispensáveis para atender aos interesses da categoria, mantendo o diálogo aberto, a confiança e harmonia entre as partes, como a melhor ferramenta para a confiança e valorização dos trabalhadores.

----------------------------------------- Publicação 03/12/2019 -------------------------------------------
SINDICATO CONVOCA CATEGORIA
PARA ASSEMBLEIA GERAL DE 9 A 13 DE DEZEMBRO EM TODO ESTADO

Convocamos a categoria para assembleias em todo o Estado, no entanto, o Sindicato solicitou adequação de alguns pontos da proposta patronal, antes de submetê-la à assembleia.

 

-------------------------------------- Publicação 02/12/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim REGISTRO Nº 334, com seguinte destaque:
"COPASA APRESENTA PROPOSTA PARA ACORDO COLETIVO CHAMADA DE FINAL"

Esta contraproposta vem sendo discutida com o Sindicato desde a semana passada, para encontrar uma alternativa de Acordo Coletivo que compatibilize os interesses dos trabalhadores e da nova direção da Copasa.

 

 

----------------------------------------- Publicação 29/11/2019 -------------------------------------------


COPASA APRESENTA SUA 5ª PROPOSTA

A Em reunião realizada na Sexta-feira, 29 de novembro, entre as comissões de negociações, a Copasa apresentou nova contraproposta, qualificando-a como final.
Esta contraproposta vem sendo discutida com o Sindicato desde a semana passada, para encontrar uma alternativa de Acordo Coletivo que compatibilize os interesses dos trabalhadores e da nova direção da Copasa.
Com muito custo, a direção do Sindicato vem convencendo a empresa de que a categoria não aceitaria de forma alguma a reiteração de propostas anteriores que apontavam o desejo de demitir 2% do quadro de pessoal, muito menos a ampliação da jornada de trabalho de 40 para 44 horas (ou alternativa de banco de horas negativo de 4 horas), como também prejudicar o direito dos trabalhadores que usufruem do vale-transporte gratuito e rebaixar o valor da Participação nos Lucros recebidos pela categoria. [+] Leia mais...

-------------------------------------- Publicação 29/11/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico com seguinte destaque:
"DIREÇÃO DA COPASA QUER DIMINUIR TAMANHO DA EMPRESA, A CAMINHO DA PRIVATIZAÇÃO"

Nas negociações do Acordo Coletivo, a “nova” direção da Copasa vem insistindo em colocar cláusula no Acordo Coletivo que lhe permitisse demitir até 2% do quadro de pessoal, não incluídos neste número as demissões por justa causa, aposentadorias, programas de desligamentos, morte. Ou seja, quer se livrar de muito mais que 2% dos trabalhadores.
A “nova” direção da Copasa está também extinguindo cinco superintendências, três distritos e 22 gerências em todo o Estado, fragilizando a atuação operacional e política da empresa....

[+] Leia mais

---------------------------------------- Publicação 22/11/2019 -------------------------------------------

REUNIÃO DE NEGOCIAÇÃO SERÁ DIA 29
AGORA É MOBILIZAÇÃO TOTAL

A empresa deverá confirmar a próxima reunião de negociações para o próximo dia 29, às 14 horas, momento em que, segundo eles, irão apresentar uma “proposta final” para apreciação dos trabalhadores em assembleias.
O SINDÁGUA, através de toda a diretoria plena, delegados e representantes sindicais, intensificará a mobilização dos trabalhadores em todo o Estado, para defendermos os direitos da categoria com todo o vigor que sempre marcaram as nossas lutas.

 

---------------------------------------- Publicação 11/11/2019 -------------------------------------------

EMPRESA É OFICIALIZADA DA REJEIÇÃO DE SUA 4ª PROPOSTA

O SINDÁGUA MG, hoje dia 11, já oficializou à Copasa documento em que relata a rejeição de sua proposta pela categoria:

"Em cumprimento das obrigações estatutárias, após recebimento das propostas da empresa, através da coordenadora da comissão de negociações, Ana Maria, vem a V.Exa., dizer que realizou as assembleias gerais nas diversas localidades da empresa, entre as datas de 04 a 08 de novembro de 2019, onde os trabalhadores de forma soberana, por sua maioria, rejeitaram a quarta proposta apresentada pela empresa, relativa às negociações salariais 2019/2020....

... Nestes termos, solicitamos reagendar nova reunião de negociações, visando os exames de pontos fundamentais da proposta, assegurando a manutenção de todos os direitos e conquistas dos trabalhadores, como a única forma de manter a harmonia e respeito que norteiam nossas relações."

 

---------------------------------------- Publicação 11/11/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim registro com seguinte destaque:
"CATEGORIA AGUARDA PROPOSTA DECENTE DA COPASA PARA O ACORDO COLETIVO"

Os trabalhadores rejeitaram por unanimidade nas assembleias realizadas em todo o Estado a contraproposta da Copasa para o Acordo Coletivo de Trabalho 2019. A categoria entende que a “nova” direção da empresa encaminha uma política de cortar direitos, achatando valores de salários e benefícios, e pretende aumentar ainda mais esta tragédia com demissões, maior carga de trabalho, aumento ilegal de jornada e não pagamento das primeiras 4 horas.

 

----------------------------------------- Publicação 08/11/2019 -------------------------------------------

Os trabalhadores rejeitaram por unanimidade em assembleias realizadas em todo o Estado

Os trabalhadores rejeitaram a contraproposta da empresa, mas nos mantemos firmes em nossa responsabilidade com os serviços essenciais e aguardamos que a direção da Copasa retorne ao diálogo na mesa de negociação coletiva para construirmos uma proposta de Acordo Coletivo que compatibilize os interesses da categoria e da própria empresa.

 

 

----------------------------------------- Publicação 30/10/2019 -------------------------------------------
SINDICATO CONVOCA CATEGORIA
PARA ASSEMBLEIA GERAL DE 4 A 8 DE NOVEMBRO EM TODO ESTADO

Convocamos a categoria para assembleias em todo o Estado, para que nós trabalhadores nos posicionemos e estabeleçamos uma luta intensa pelos nossos direitos.


---------------------------------------- Publicação 30/10/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim registro com seguinte destaque:
"ARROCHO NÃO! SEM SALÁRIO E CONDIÇÕES DE TRABALHO É GRAVE"

A Copasa usa de uma espécie de chantagem para que os trabalhadores tenham o direito de reparação dos salários pela inflação acumulada pelo INPC. Condiciona o reajuste de 5,07% do INPC pela nossa aprovação pelo fim da PL Linear e implantação de um novo modelo que privilegia os cargos de “alta direção” dividirem entre si 25% do valor de PL a ser distribuído.

----------------------------------------- Publicação 25/10/2019 -------------------------------------------


COPASA APRESENTA SUA 4ª PROPOSTA E INSISTE
EM REDUZIR A PL, DEMITIR 2% E ARROCHAR OS SALÁRIOS E BENEFÍCIOS

A Copasa mudou muito pouco em sua quarta contraproposta para Acordo Coletivo, insistindo em pontos já rejeitados pelos trabalhadores. A direção da empresa continua com posicionamento rígido em não reajustar o valor dos benefícios, em eliminar a o direito de todos à PL linear, extinguir o vale transporte gratuito, amolar o facão para demitir e aumentar jornada contratual de trabalho sem reajustar os salários na mesma proporção.
O Sindicato mantém o diálogo com a Copasa, que, no entanto, frustra com sua proposta que arrocha salários e direitos.

Em resumo, a proposta da empresa é a seguinte:

  • Reajuste de 5,07% do INPC para todos, exceto para cargos gerenciais (reajuste condicionado a aprovação da mudança na PL);
  • Pagar apenas 75% do valor da PL de forma linear para quem não tem cargo de liderança e 25% do valor para cargos de alta liderança (conforme atingimento de metas);
  • Passar a cobrar o vale transporte gratuito: 3% a partir deste acordo e até o limite de 6% a partir do acordo de 2020;
  • Garantia de emprego para 98% do quadro de pessoal, permitindo demissões de até 2% que não atingirem metas;
    Implantação de um banco de horas negativo de 4 (quatro horas semanais), ou seja quatro horas extras que não seriam remuneradas.


----------------------------------------- Publicação 23/10/2019 -------------------------------------------

SINDICATOS E COPASA VOLTAM À NEGOCIAÇÃO PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO NA SEXTA, DIA 25

A direção da Copasa confirmou na tarde de hoje ao SINDÁGUA a continuidade das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2019.
A empresa marcou nova reunião entre as comissões de negociação para a próxima sexta-feira, dia 25, às 16 horas.
O Sindicato intensificou a mobilização dos trabalhadores em todo o Estado, tendo uma resposta de muita contrariedade da categoria quanto à proposta antissocial da empresa de arrocho nos salários e benefícios, corte de direitos, intenção de demitir 2% do quadro de pessoal, tentativa de impor ilegalmente ampliação de jornada de trabalho e severo prejuízo à conquista da PL linear.
Os pontos de discordância dos trabalhadores foram plenamente informados à direção da empresa, esperando que haja uma reversão de proposta que efetivamente aponte para maior investimento para manter a qualidade dos serviços da Copasa, a começar pela reposição de vagas em todo o Estado, sobretudo na área operacional, que tem dificuldade de atender o crescimento de demanda com o quadro de pessoal reduzido.
A categoria aguarda com ansiedade uma contraproposta justa para mantermos nosso empenho no trabalho por um serviço essencial, responsabilidade constitucional do Estado.


----------------------------------------- Publicação 21/10/2019 -------------------------------------------

COPASA FAZ REUNIÃO COM SINDICATO
E RETOMA NEGOCIAÇÕES PARA ACT

A direção da Copasa, atendendo à decisão soberana das assembleias dos trabalhadores realizadas em todo o Estado, que rejeitaram por unanimidade a terceira contraproposta apresentada pela empresa, reabriu as negociações com a categoria e se reuniu com a diretoria do SINDÁGUA, nesta sexta-feira (18 de outubro).

Os dirigentes da entidade sindical apresentaram à direção da empresa toda a indignação e insatisfação dos trabalhadores com a postura da empresa nas negociações, mas acreditam que a retomada do diálogo poderá representar um avanço para a construção de um acordo justo para a categoria.

 

----------------------------------------- Publicação 14/10/2019 -------------------------------------------

EMPRESA É OFICIALIZADA DA REJEIÇÃO
DE SUA 3ª PROPOSTA

O SINDÁGUA já oficializou à Copasa documento em que relata a rejeição de sua proposta pela categoria. As assembleias aprovaram os seguintes pontos, até chegarmos a um acordo que respeite os direitos da categoria e possamos continuar nosso trabalho com responsabilidade. São eles:

  • Rejeição da contraproposta da direção da Copasa;
  • Retorno imediato à mesa de negociações;
  • Declaração de assembleia em caráter permanente;
  • Declaração de ESTADO DE GREVE.
  • No ofício à direção da empresa, o Sindicato solicita que seja agendada nova reunião para buscarmos um avanço nas negociações.

Não aceitamos o sucateamento das condições de trabalho, com a nítida intenção de privatizar a Copasa.

 

----------------------------------------- Publicação 11/10/2019 -------------------------------------------

TRABALHADORES DIZEM UM SONORO
NÃO Á PROPOSTA DA EMPRESA


CATEGORIA REJEITA ARROCHO NOS SALÁRIOS, BENEFÍCIOS E A ESCANDALOSA PROPOSTA PARA PL E JORNADA

Os trabalhadores rejeitaram, em todas as assembleias realizadas no Estado, a contraproposta da Copasa para Acordo Coletivo de Trabalho.

A categoria rejeitou a intenção da direção da empresa em arrochar os salários e benefícios, além de prejudicar seriamente direitos como a PL Linear, conquista da categoria alcançada através de uma greve de 9 dias. Os trabalhadores se mostraram indignados com a proposta patronal de aumentar a jornada de trabalho de 40 para 44 horas semanais, que burla acordos coletivos históricos e até mesmo editais da empresa em que anunciava aos candidatos e estabeleceu contratos de 40 horas semanais. Qual será a postura da empresa diante desta situação? Contratou por 40 horas e agora quer aumentar para 44, sem aumento de salários? Está aí mais um passivo trabalhista, se resolver ir adiante com esta medida indecente, que vai na contramão das iniciativas para gerar empregos com redução de jornada. Ao mesmo tempo que pretende arrochar salários, quer autorização para demitir 2% dos trabalhadores!

----------------------------------------- Publicação 04/10/2019 -------------------------------------------
SINDICATO CONVOCA CATEGORIA
PARA ASSEMBLEIA GERAL EM TODOS ESTADO

Convocamos a categoria para assembleias em todo o Estado, para que nós trabalhadores nos posicionemos e estabeleçamos uma luta intensa pelos nossos direitos.
Os trabalhadores conclamaram o Sindicato à mobilização intensa para garantir respeito às conquistas alcançadas com muita luta ao longo dos anos. Não aceitamos o sucateamento das condições de trabalho, com a nítida intenção de privatizar a Copasa.

----------------------------------------- Publicação 30/09/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico 39, com o seguintes destaque:
"COPASA MUDA PROPOSTA, MAS QUER REAJUSTES DIFERENCIADOS DE SALÁRIOS E PREJUDICAR A PL"

A Depois de apresentar verbalmente uma contraproposta na última sexta-feira, dia 27, rejeitada na mesa de negociações pelo SINDÁGUA, Senge e Saemg, a direção da Copasa enviou ao Sindicato nesta segunda-feira um ofício em que faz alterações em sua contraproposta.

A empresa reitera a garantia da data-base em 1º de maio, que possibilita negociarmos até fechar um “acordo decente”. As mudanças na contraproposta dizem respeito aos índices de reajustes salariais. A empresa mantem a proposta de INPC pleno (5,07%) até a faixa 7 de salários. Enquanto na sexta-feira indicava reajuste “Zero” para as faixas posteriores, agora a empresa acena com 4,09% para salários acima da faixa 7. Trabalhadores que exercem cargos de assessores, superintendentes, gerentes e diretores ficariam sem qualquer reajuste salarial. Leia mais...

----------------------------------------- Publicação 12/09/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim eletrônico com o seguintes destaque:
"SINDICATO SE REÚNE COM DIRETORIA DA COPASA
PARA RETOMAR AS NEGOCIAÇÕES"

A direção do SINDÁGUA se reuniu com a diretoria da Copasa, nesta quinta-feira (12/9), em atendimento ao o?cio em que notificamos a empresa sobre a rejeição pela categoria da contraproposta apresentada pela companhia para o Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020. Participaram da reunião, pela Copasa, a vice-presidente, Cristiane Schwanka, o diretor financeiro, Carlos Augusto Botrel Berto, e o chefe de gabinete da presidência, Clóvis Horta.
      Ficou acertado que a direção do Sindicato será convocada, na próxima semana, para se reunir novamente com a diretoria da Copasa e, posteriormente, será realizada nova rodada de negociação da Campanha Salarial entre as comissões dos trabalhadores e da empresa, quando deverá ser apresentada nova proposta para o Acordo Coletivo.

 

 

---------------------------------------- Publicação 02/09/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica boletim registro com seguinte destaque:
"COPASA PIORA SUA PROPOSTA E QUER CORTAR DIREITOS"
e convoca Assembleia Geral em todo Estado

SINDAGUA, SENGE e sSAEMG, unificados, rejeitamos esta proposta absurda, apesar de mantermos nosso compromisso de levá-la para deliberação dos trabalhadores em assembleias. Não podemos concordar com retirada de direitos. A forma como a empresa apresentou sua proposta indica o contrário do que pregou. Mostra que não quer negociar e que o diálogo é unilateral, sem nos ouvir e ter sensibilidade para estabelecermos um acordo digno.

Convocamos todos os trabalhadores para as assembleias em todo o Estado e que possamos engrossar a luta pelos nossos direitos, para que possamos arcar com nossas responsabilidades em condições dignas de trabalho. Mobilização geral pelo diálogo e proposta res-ponsável para um acordo justo.

----------------------------------------- Publicação 29/08/2019 -------------------------------------------

COPASA PIORA SUA PROPOSTA E QUER CORTAR DIREITOS

A direção da Copasa criou o impasse na mesa de negociações em não cumprir com a expectativa da categoria com o diálogo e avanço para chegarmos a um Acordo Coletivo de Trabalho que compatibilize as responsabilidades da empresa e dos trabalhadores. Ao final da reunião anterior, a empresa deixou entender que apresentaria uma nova proposta nesta quinta-feira, 29 de agosto, inclusive foi citado que num dos tópicos, vale-transporte, poderia haver uma proposta progressiva para chegar ao fim da gratuidade.

A comissão patronal deixou entender, na última reunião, que a empresa traria uma nova proposta e os quatro pontos polêmicos poderiam ser discutidos em comissões com participação dos sindicatos.


cassarSINDAGUA, SENGE e SAEMG, unificados, rejeitamos esta proposta absurda, apesar de mantermos nosso compromisso de levá-la para deliberação dos trabalhadores em assembleias.

Não podemos admitir mudança no contrato de trabalho e acusamos como criminosa a proposta de aumento de jornada para 44 horas semanais, na contramão deste momento em que os trabalhadores já estão sacrificados, com carência de pessoal e sendo obrigados a trabalho dobrado, adoencendo, levando até companheiro a depressão pelas constantes ameaças de precarização.

 

 

----------------------------------------- Publicação 22/08/2019 -------------------------------------------

COPASA APRESENTARÁ NOVA PROPOSTA NO DIA 29
E NÃO ACEITAREMOS ARROCHO

A Copasa informou que deverá apresentar uma nova proposta de Acordo Coletivo para a categoria na próxima reunião de negociação, já agendada para a próxima quinta-feira, dia 29. Na reunião realizada hoje, 22 de agosto, a empresa confirmou a mesma proposta apresentada na última semana, ressaltando a garantia da data-base de 1º de maio, que assegura a manutenção dos diálogos para a retroatividade do acordo.

A comissão patronal solicitou dos sindicatos o posicionamento sobre os quatro pontos que a empresa pretendia discutir: novo modelo de PL, garantia de emprego, vale transporte gratuito e jornada de 44 horas.

----------------------------------------- Publicação 09/08/2019 -------------------------------------------

COPASA APRESENTA PROPOSTA
PARA SALÁRIOS ABAIXO DO INPC

A Em reunião com o SINDÁGUA e Saemg na tarde desta quarta-feira, 14 de agosto, a Copasa apresentou sua primeira proposta para o Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019.
De imediato, reforçou que “a data-base está garantida” e que a empresa está totalmente aberta para o diálogo com os sindicatos, o que garante a oportunidade de evoluirmos numa proposta final que venha compatibilizar o interesse dos trabalhadores e da Copasa.
A coordenadora da comissão patronal informou que todas as ponderações dos sindicatos apresentadas na última reunião foram discutidas com a direção da empresa, que, segundo ela, “se mostrou sensível às ponderações dos dirigentes sindicais”.

Nova reunião já está marcada entre a Copasa e os Sindicatos para próxima quinta-feira, 22 de agosto, quando esperamos uma evolução de uma proposta que possa ser submetida aos trabalhadores em Assembleia.

----------------------------------------- Publicação 09/08/2019 -------------------------------------------

COPASA REFORÇA GARANTIA DE DATA BASE E
PREVÊ PROPOSTA NA PRÓXIMA SEMANA

A Copasa voltou a ressaltar na reunião de hoje com os sindicatos a GARANTIA DA DATA-BASE da categoria em 1º de maio, o que permite não apenas a retroatividade dos impactos do acordo coletivo, como também que possamos discutir com rigor e responsabilidade os termos do documento que resguarde os direitos dos trabalhadores.

A da Comissão da Empresa recebeu instrução da nova direção da Copasa para garantir apenas os benefícios, tais como auxílio-creche, tíquete alimentação e refeição, auxílio educação e outros, não mencionando reajuste salarial e demais itens econômicos.

Informou também que a direção da empresa fez longas reuniões para se inteirar de todos os direitos estabelecidos nos acordos anteriores, recebendo estudos de impacto de todos eles, para subsidiar uma proposta a ser apresentada aos Sindicatos.

A comissão de negociações dos trabalhadores lembrou vários pontos do acordo coletivo de 2018 que não foram cumpridos e pendências existentes que deveriam ser rediscutidas, evitando-se demandas judiciais para defender direitos que vem sendo descumpridos, como acontece na discussão judicial das escalas de plantão, cortes de direitos como adicional de insalubridade para operadores e adicional de periculosidade de motociclistas, após a implantação dos triciclos.

A empresa informou que oficializaria uma proposta por ofício na próxima semana, mas o sindicato cobrou que haja uma reunião com a comissão representativa de trabalhadores no ato de recebimento e discussão de qualquer proposta. Ao final da reunião, no entanto, fomos surpreendidos com uma informação da comissão patronal de que a empresa estaria fazendo estudos sobre mudanças na PL linear e ainda de não reeditar cláusula de não demissão. A direção do SINDÁGUA manifestou sua pronta manifestação de reprovação a estas supostas ameaças a direitos que foram conquistados, como a PL linear, depois de nove dias de greve, e da não demissão, que mantém o equilíbrio e tranquilidade dos trabalhadores para exercerem suas funções com responsabilidade e desempenho que alavancam os resultados da empresa.

Na próxima semana, tão logo tenhamos a proposta oficial da empresa, comunicaremos imediatamente à categoria, para que os trabalhadores deliberem seu posicionamento.

----------------------------------------- Publicação 25/06/2019 -------------------------------------------

FOTOS DA 1ª REUNIÃO DE NEGOCIAÇÃO EM 24/JUN/2019

----------------------------------------- Publicação 24/06/2019 -------------------------------------------

1ª REUNIÃO DE NEGOCIAÇÃO COM AS COMISSÕES DA COPASA E OS TRABALHADORES, PARA O ACORDO COLETIVO DE TRAVBALHO 2019

Aconteceu nesta segunda-feira, dia 24 de junho, a primeira reunião entre as comissões de negociações da Copasa, SINDÁGUA, Senge e Saemg, para discutir os pontos da Pauta de Reivindicações visando o Acordo Coletivo de Trabalho 2019.

A empresa não apresentou qualquer proposta aos trabalhadores e também não marcou previamente a próxima reunião de negociações, que deve acontecer após a nomeação e posse da nova diretoria da Copasa, previstas para 1º de julho.

----------------------------------------- Publicação 07/06/2019 -------------------------------------------

COPASA REMARCA NEGOCIAÇÕES DO ACORDO COLETIVO
PARA O DIA 24 DE JUNHO

A direção da Copasa encaminhou ofício ao Sindicato em que adia a primeira reunião de negociações do Acordo Coletivo 2019 desta terça-feira, dia 18, para 24 de junho (segunda-feira), quando deverá ser discutida a Pauta de Reivindicações unificada apresentada pelos Sindicatos (SINDÁGUA, Senge e Saemg).

A Copasa, como já informamos antes, nomeou sua comissão de negociações no último dia 31 de maio, sendo que a “Pauta de Reivindicações” da categoria está em poder da empresa desde o mês de março.

 

 

----------------------------------------- Publicação 15/05/2019 -------------------------------------------

COPASA GARANTE A DATA-BASE DA CATEGORIA EM 1º DE MAIO

O Já está em poder do SINDÁGUA, ofício da Copasa, protocolado neste dia 15, em que garante a data-base da categoria em 1º de maio.
Como é do conhecimento dos trabalhadores a garantia de data-base é de extrema importância para que os termos do Acordo Coletivo que vier a ser assinado tenham seus efeitos retroativos, tanto no reajuste dos salários quanto dos benefícios conquistados pela categoria.

 

----------------------------------------- Publicação 01/04/2019 -------------------------------------------

PAUTA DA CATEGORIA PARA ACORDO COLETIVO FOI ENTREGUE À COPASA

O SINDÁGUA entregou oficialmente à direção da Copasa a “Pauta de Reivindicações” da categoria, que será negociada com a empresa para celebração do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020.
A empresa foi informada que a comissão de negociação do Sindicato será composta pelos membros da “Diretoria Executiva” do SINDÁGUA, acrescida por assessores político, jurídico e de imprensa, além de técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese).
No mesmo documento, entregue ao diretor de Gestão da empresa, Francisco Cançado (foto), o SINDÁGUA cobra da empresa ofício que garanta a data-base da categoria, para que todos os direitos e impactos financeiros das cláusulas que vierem a ser acordadas tenham retroatividade a 1º de maio.

----------------------------------------- Publicação 27/03/2019 -------------------------------------------

Sindicato encaminha Pauta de Reivindicações para Copasa para negociar ACT

O Sindágua encaminhou nesta quinta-feira, 28 a Pauta de Reivindicações para o Acordo Coletivo 2019/2020. O sindicato realizou assembleias em todo o Estado entre os dias 18 e 22 de março de 2019, para que os trabalhadores aprovassem a Pauta de Reivindicações da categoria para o processo de negociação coletiva com a Copasa. As demandas apresentadas em cada localidade foram compiladas em um documento remetido para a direção da empresa, para que seja estudado e marcadas as reuniões das comissões de negociação.

 


Clique ao lado para baixar a Pauta de Reivindicações 2019 ==>

----------------------------------------- Publicação 15/03/2019 -------------------------------------------

EXECUTIVA DO SINDICATO DISCUTE ESTRATÉGIAS DA CAMPANHA SALARIAL

A Diretoria Executiva do SINDÁGUA realiza reunião nesta sexta-feira, 15, na Escola Sindical 7 de Outubro, no Barreiro, e discute os encaminhamentos para a mobilização da categoria, visando as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2018 com a Copasa. Técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese) faz uma análise do Balanço da Copasa de 2018 e pontuará os resultados operacionais e financeiros da empresa, além do desempenho dos trabalhadores. [+] LEIA MAIS

----------------------------------------- Publicação 15/03/2019 -------------------------------------------

Sindágua publica jornal com seguinte destaque:
DIREITOS DEPENDEM DE
APOIO AO SINDICATO E MOBILIZAÇÃO!

Chegou a hora de os trabalhadores na Copasa discutirem o Acordo Coletivo 2019/2020, buscarem o reajuste dos salários e dos benefícios, garantirem direitos conquistados e se empenharem por uma luta ainda maior contra a declarada intenção do novo governo de Minas de privatizar a empresa.

 

 

----------------------------------------- Publicação 14/03/2019 -------------------------------------------

A Diretoria do SINDÁGUA elaborou uma Pré-Pauta que será discutida pelos trabalhadores

Partimos para o processo de mobilização em todo o Estado, em uma «Campanha Salarial Unificada», em que precisaremos da unidade de todos os trabalhadores não apenas para defender direitos mas a própria empresa das mãos da privataria.
A Diretoria Plena do SINDÁGUA elaborou uma Pré-Pauta que será discutida e acrescentada pelos trabalhadores em assembleias em todo o Estado.

Clique na imagem ao lado e veja a Pré-Pauta na íntegra.

 

----------------------------------------- Publicação 14/03/2019 -------------------------------------------

Sindicato convoca assembleia geral para todo o estado

----------------------------------- Publicação 08/03/2019 --------------------------------------------

Sindágua publica edital de abertura da
Campanha Salarial Unificada 2019 e
convocação de Assembleia Geral

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Purificação e Distribuição de Águas e em Serviços de Esgotos no Estado de Minas Gerais - SINDÁGUA-MG, com sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Rua Congonhas, nº 518, bairro Santo Antônio, CEP: 30330-100, com base territorial em todo Estado de Minas Gerais, vem através de seu presidente Sr. José Maria dos Santos, no uso de suas atribuições institucionais e na forma estatutária, convocarem a categoria profissional dos trabalhadores na Companhia de Saneamento de Minas Gerais "COPASA", para as Assembleias Gerais a realizar-se nas datas de 18 a 22 de março de 2019, em todo Estado de Minas Gerais, obedecendo à especificidade de cada localidade. As assembleias gerais serão realizadas nas diversas localidades, sendo na sede do SINDÁGUA MG para os trabalhadores da Regional localizada no Bairro Santo Antônio, na data de 22 de março de 2019, em primeira convocação, às 12:00 horas, com quórum estatutário, e em segunda convocação às 12:40 horas, com qualquer número de presentes; Nas localidades do interior do Estado e nos distritos da Região Metropolitana de Belo Horizonte: preferencialmente, em primeira convocação às 08:00 horas, com quórum estatutário, e em segunda convocação às 08:40 horas, com qualquer número de presentes ou em horário estabelecido entre os dirigente sindicais e os gerentes das localidades; para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1º) Abertura da Campanha Salarial de 2019, referente negociação coletiva salarial do período de 01 de maio de 2018 à 30 de abril de 2019, com discussão e votação da reivindicações para o acordo coletivo apresentadas pelos trabalhadores e aprovação das reivindicações sugeridas numa pré-pauta deliberada pela diretoria colegiada da entidade sindical, contendo os itens anexos a presente Ata: 2.º) Deliberação de assembleia em caráter permanente, até a aprovação do Acordo Coletivo ou autorização para instauração do Dissídio, fórum que poderá ser convocado independente de outro edital; 3.º) Poderes à Diretoria Executiva para negociar livremente, participar de procedimentos de mediação ou arbitragem, assinar acordo coletivo, ou ajuizar dissídio coletivo de natureza jurídica e/ou econômica, com ou sem a participação de outras entidades sindicais, após aprovação das assembléias; 4.º) Deflagração de movimento grevista, através de paralisação coletiva do trabalho; 5º) Discussão e aprovação da taxa de fortalecimento sindical; 6º) Autorização para a entidade nas negociações conjunta com as entidades SENGE MG, SAEMG, , FEDERAÇÃO NACIONAL DOS URBANITÁRIOS – FNU CUT 7.º) A ata geral totalizará os resultados de cada uma das assembleias regionais realizadas; 8.º) Ficam desde já autorizadas as práticas de atos e procedimentos de natureza secundária ou subsidiária ao êxito do processo de obtenção de instrumentos normativos que garantam o avanço dos direitos sociais e econômicos da Categoria Profissional. Belo Horizonte, 07 de março de 2019. José Maria dos Santos - Presidente.

 

Voltar

 
 

 

Baixe aqui este arquivo!
5ª Proposta da empresa
29 /11/2019

Baixe aqui este arquivo!
4ª Proposta da empresa
25/10/2019

Baixe aqui este arquivo!
3ª Proposta da empresa
30/09/2019

Baixe aqui este arquivo!
2ª Proposta da empresa
29/08/2019

Baixe aqui este arquivo!
1ª Proposta da empresa
14/08/2019

Documetos para assembleia

Baixe aqui este arquivo!Baixe aqui este arquivo!
Ata para assembleia

Baixe aqui este arquivo!Baixe aqui este arquivo!
Lista de presença
para Assembleia

Baixe aqui este arquivo!Baixe aqui este arquivo!
Cartaz para Assembleia


Data Base 2019
Pauta de reivindicação

Todos Informativos da
Campanha Salarial 2019

 


 

Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019 (último)

Baixe aqui este arquivo!
Edital de
Convocação


Baixar ficha de Filiação


 
 
Nome

Email

Cidade

Empresa

Mensagem
 
     
Rodape Sindagua


Sindicato dos Trabalhadores nas
Indústrias de Purificação e Distribuição
de Água e em Serviços de Esgotos
do Estado de Minas Gerais

Rua Congonhas, 518 - Santo Antônio Belo Horizonte - MG
CEP 30330-100

(31) 3297-7227 Fax 3297-7224
 
sindagua@sindagua.com.br


Galeria de Fotos


Galeria de Videos

Mapa do Site
  Principal
Boletins
Acordos Coletivos
Cartilhas
Colônias de Férias
Deapes
Diretoria Executiva
Conselho Fiscal
Diretoria de Base
Estatuto
Fale Conosco
Histórico

Jurídico
Jornais
Noticias
Outros convênios
Publicação
Saúde e Segurança
Seguro de Vida
Serviços Cartórios
Seguro de Carro
Última publicação
Web-Mail
Sindicalize-se